A cidade

Breve Resumo da Cidade

História

A partir de 1700, a colonização e povoamento da Capitania de Sergipe expande-se pela zona sertaneja. Segundo a Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, a primeira incursão na área territorial de Pedra Mole foi feita por Manoel Alves da Silva, que obteve por alvará, de 25 de outubro de 1713, a sesmaria de uma légua de comprimento por três de largura, começando no Rio Salgado, que deságua no Rio Vaza-Barris.
Em 1890, a família francesa Ettingers fundou na região uma fábrica de beneficiamento de algodão. O exemplo e o entusiasmo dos dois pioneiros, Gootchaux Ettinger e seu sobrinho Gabriel Lazar Ettinger, foram atraindo pessoas da circunvizinhança que desejavam prosperar.
O desenvolvimento foi relativo, por causa da falta de transportes regulares e rápidos que permitissem o escoamento da produção para os mercados do litoral. Até hoje Pedra Mole sofre por falta de uma rodovia asfaltada, já que é a única cidade que tem acesso somente por estrada de barro, mesmo assim em péssimas condições.
Pedra Mole, como suas cidades vizinhas, deixou de se desenvolver também pela falta de chuvas e com os processos rudimentares da agricultura que reduzem e encarecem a produção.
Os pedra molenses têm várias versões sobre o surgimento do nome da cidade. Uma delas é que alguns moradores encontraram pedras com a marca da pata de um animal e de um pé de uma pessoa, e disseram que as pedras eram moles. Outros acreditam que viajantes marcavam como ponto de encontro o lugar das pedras moles. Sabe-se, com certeza, que onde hoje é a cidade havia pedras relativamente fofas, mas que hoje não existem mais
Gentílico: pedra-molense.

Geografia

Localiza-se a uma latitude 10º37’00” sul e a uma longitude 37º41’13” oeste, estando a uma altitude de 192 metros. Sua população estimada em 2004 era de 2 879 habitantes. Possui uma área de 797,3 km².

Referências

1. Prefeito eleitos no Sergipe. Página visitada em 22/01/2013.
2. Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008.
3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010.
4. Censo Populacional 2013». Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2013. Consultado em 11 de dezembro de 2013.
5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 26 de agosto de 2013.
6. Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010.